DESPORTO

Treinador renomado em Portugal diz que “A polícia odeia o Sporting e ama o…”

Publicado:

Treinador renomado
IMAGO
Publicidade

O futebol português viveu um momento de intensa controvérsia no último fim de semana com o adiamento do aguardado confronto entre Famalicão e Sporting, um jogo crucial válido pela 20ª jornada da I Liga que deveria ter ocorrido no Minho.

O impedimento surgiu devido a constrangimentos no contingente policial, deixando Sporting e Famalicão com um jogo a menos no campeonato. Esta situação não apenas gerou desagrado entre os sportinguistas, mas também levantou receios de potenciais consequências que possam afetar o calendário da equipa leonina, agora em segundo lugar da tabela classificativa, após a vitória do rival Benfica diante do Gil Vicente.

Publicidade

Augusto Inácio, uma figura incontornável no universo leonino, recentemente partilhou suas preocupações quanto aos efeitos indiretos deste adiamento na equipa do Sporting. O antigo jogador, treinador e dirigente do clube reconhece que a transferência da liderança para o Benfica, devido ao adiamento do jogo, poderá ser um estímulo adicional para os jogadores encarnados.

Augusto Inácio fala de pontos essenciais

Inácio destacou que o Sporting perdeu a liderança por razões alheias, enfatizando que a equipa leonina não teve qualquer responsabilidade no adiamento do jogo. Portanto, isto num momento em que o Sporting atravessa uma fase espetacular, com resultados notáveis e confiança elevada, o adiamento do jogo surge como uma circunstância injusta.

Publicidade

O ex-treinador verde e branco sublinha ainda que todos os envolvidos saem prejudicados, mas acredita que o Sporting é quem mais motivos tem para se queixar. O adiamento representa uma quebra no ritmo e nos planos da equipa liderada por Rúben Amorim, que vinha a realizar uma campanha consistente, algo que já não se via em Alvalade há quase 50 anos.

Quanto à ausência de efetivos policiais devido a baixas médicas, Inácio descarta a ideia de dolo por parte dos agentes, afirmando que não acredita que tenha havido intenção de prejudicar diretamente o Sporting. Ele observa que, embora todos os envolvidos saiam prejudicados, o Sporting é quem mais sofre com essa situação, pois vai contra o momento positivo que a equipa atravessa.

Publicidade

Este episódio, permeado por “balelas” e controvérsias, permanece no centro das atenções do futebol português, com as partes envolvidas aguardando uma resolução e medidas preventivas para evitar situações semelhantes no futuro.

Publicidade
Publicidade